Lindo"

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Aula: Cuidar do corpo e do espírito

Aula: Cuidar do corpo e do espírito
Adaptável para várias idades
I.      Prece.
 II. Acolhida e Harmonização.  Duração – no máximo cinco minutos.
A – Exercício: Colocar um cd com música bem suave. Quando as crianças entrarem na sala, pedir para se postarem em círculo, fecharem os olhos e prestar atenção na música
B – Relaxamento e respiração:
Obtido o relaxamento muscular, cada um passa a concentrar sua atenção na respiração, inspirando naturalmente, com a boca cerrada, retendo o ar um pouco e expirando, abrindo suavemente os lábios.
Este método de respiração, utilizado diariamente possibilita uma renovação orgânica e, em conseqüência, maior vitalidade.
 III. Atividades
1)  Apresentar o tema da aula:
Hoje nós vamos iniciar a aula com uma grande surpresa: a tia preparou um piquenique!      
*Estender uma toalha em uma área bonita, no pátio do Centro. Colocar em cima da toalha cestas bem bonitas, caprichar na decoração. Dentro das cestas, porém, colocar alimentos impróprios para o consumo, como pão mofado, frutas estragadas, doces velhos envoltos em lama, misturar lixo (papéis com barro, pedras sujas...) e insetos de plástico ou bisquit.
Esperar a reação das crianças. Elas certamente irão reclamar.
A Evangelizadora deverá então frisar cada tópico seguinte, dando tempo das crianças responderem e explicando exaustivamente o mesmo, antes de passar ao próximo:
- Ué, vocês estão com nojo de comer o lanche? Por que? Porque está estragado?
.  Se comermos alimentos estragados e sujos o que irá acontecer com nosso corpo?
.  Ah, vamos ficar doentes, não é?
.  Mas vocês se lembram que já aprendemos que somos um espírito eterno habitando temporariamente esse corpo?
.  Para ter saúde devemos cuidar de nosso corpo, não é? Como? Nos alimentando bem, cuidando de nossa higiene, fazendo exercícios...
.  Mas vocês sabiam que para termos saúde precisamos também cuidar de nosso espírito?
.  Da mesma forma que esses alimentos estragados vão fazer mal para vocês, se comerem,  vamos procurar aqui no pátio alguns exemplos de como andamos “alimentando” nosso espírito.
2) Caçada: Dizer aos Evangelizandos que deverão se dividir em duplas, entregar para cada dupla um apito. Explica que eles deverão procurar pelo pátio por  7 objetos escondidos. Quando acharem um objeto, deverão fazer soar o apito, e todos imediatamente pararão a busca., dirigindo-se para perto da Evangelizadora, que explicará o quanto aquilo causa de mal para o espírito, fazendo as crianças participarem com  exemplos, relato de situações, fatos veiculados pela mídia, etc., trabalhando muito bem cada um, quando esgotar totalmente todas as dúvidas, reiniciar a caçada, procedendo da mesma forma até todos os objetos serem encontrados. 

Previamente a Evangelizadora deverá esconder bem  pelo pátio os seguintes objetos:
a) Figura impressa com a legenda “brincar de lutinha”; 
      b)    Televisão de papelão com o logo da novela das 9;


      c)    DVD de vídeo-game de luta; 

     d)    Desenho de um menino ou uma menina com falando palavrões (em símbolos); 
 


      e)   Livrinho de cartolina escrito “revista pornográfica”;
f     f )     Computador de papel  com site de violência desenhado. 


3) Ainda no pátio, apresentar à classe um boneco de mais ou menos 30 cm feito de papel com seu duplo feito de chapa de raio-x (você deve lavar a chapa para retirar a imagem, e desenhar o duplo do bonequinho com canetinha). Amarrar um ao outro com um cordãozinho prateado.

Explicar para as crianças que cada vez que praticamos um ato de raiva, violência, cupidez, ou seja, cada vez que cultivamos um vício deixamos uma marca em nosso perispírito, que espelhará o quanto moralmente enfermos somos. Assim, mostrar novamente cada objeto encontrado e ir marcando, com uma canetinha preta, manchas escuros nos “perispírito”, a fim de que os Evangelizandos percebam que estão lesionando seu corpo espiritual. Ensinar para eles que, com o tempo, essas lesões perispirituais se transformarão em doenças no corpo físico. Por exemplo, a ciência já demonstrou que a raiva causa doenças cardíacas, a mágoa o câncer, etc. Estimular os Evangelizandos a perguntarem, questionarem e  citarem exemplos de pessoas amargas, tristes, mal humoradas. Dependendo da idade apresentar fatos de adolescentes eu  ometem crimes incitados pela violência dos filmes e jogos, como os massacres nas escolas nos Estados Unidos e o massacre no cinema no Brasil.
Ao fim, o bonequinho que representa o perispírito deverá estar coberto de manchas pretas, e as crianças deverão estar bem conscientes do mal causado pelos vícios trabalhados na aula.
4) Preparar a sala de aula. Deixá-la bem agradável. Colocar em exposição, num local central, uma linda pintura em tela. Preparar uma exposição de livros que trabalhem os valores, as virtudes. Escolher livros com lindas gravuras. Imprimir uma linda gravura de criança em prece.

Espalhar flores em arranjos bem feitos e belos vasos. Colocar também vasos com folhagens perfumadas plantadas.  Colocar um aromatizador de ar com uma essência perfumada e suave, uma música ambiental suave e bela.
Espalhar pela mesa capas de DVD’s de filmes bons, jogos educativos e divertidos.
Preparar pequenos cartazes com as “palavras boas” e espalhar na mesa:





5) Convidar as crianças para irem para a sala de aula, mas vendadas. Ao entrar, em fila e ordenadamente, com sua ajuda (pois estarão vendadas), perguntar a elas o que estão sentindo. Pedir para que tirem as vendas, deixar que elas entrem e se emocionem com o que encontrarem. Explicar com muito carinho que, em oposição às coisas que fazem mal para o espírito, existem outras que nos “alimentam” espiritualmente, e que você preparou a sala com muito carinho para que eles conhecessem algumas delas. Levá-los a observar a pintura, cheirar e tocar suavemente as flores, ouvir a música com atenção, manusear os livros, filmes e jogos. Explicar o quanto cada um faz bem, estimule-os a dizerem o que estão sentindo.
Chamar a atenção delas sobre a importância de cuidarmos do espírito, de como isso nos faz bem e felizes. Eles devem ver que o carinho e a gentileza, o cultivo das boas amizades também são fatores importantes no alimento da alma. Estimulá-los a falar sobre acada objeto, sobre cada atitude repesentada, até que o Evangelizador obsrve que eles apreenderam muito bem a lição.
6) Preparar a figura de um menino e uma menina, pregá-la no mural. Pedir para cada Evangelizando selecionar a figura de um objeto que encontrou no  pátio e pregá-lo em um lado do mural. Depois, pregar do lado outro a figura dos objetos da sala de aula que mais os tocaram (preparar figuras da música e do perfume também). Mandar que eles coloquem um “X” grande e vermelho sobre o que querem abolir de suas vidas.
7) Para pintar: 
Distribuir a seguinte gravura para os Evangelizandos pintarem:

8) Cantar a música “Mundo lindo”

Quero pedir nesta canção
Pra que você não faça guerra
E não viva como fera,
Indiferente.
Eu vou pedir seu coração
Para plantar no meu jardim.
Vai florescer, enfim,
O Amor na gente.
Quero ver você, um dia,
Também, sorrindo, Refrão
Dizendo: que alegria!
Que mundo lindo!

Você pode ouvi-la  aqui


Subsídios para o Evangelizador:

A reflexão da noite de hoje é sobre uma mensagem do Espírito Georges, ditada em Paris em 1863 em que se revela a perfeição da Doutrina dos Espíritos quanto às necessidades do homem moderno de todos os tempo, contemplando as questões tanto da vida na dimensão material quanto a vida espiritual.
Argumenta o lúcido mensageiro que o espírito do homem encarnado é como um PRISIONEIRO DA CARNE porque está nesta vida enclausurado em um corpo biológico com especiais necessidades de cuidado a fim de que funcione satisfatoriamente para que possamos cuidar também de nossos interesses de crescimento espiritual.
Nem mortificar o corpo em sacrifícios que nada tem a ver com perfeição, negligenciando suas necessidades e nem viver totalmente devotado a ele, alienando-se do impositivo de nossa educação moral para a vida imortal.

George em sua mensagem assevera que a necessidade de EQUILIBRIO entre essas duas esferas de interesse embora seja evidente e fácil de perceber, nem por isso é fácil.
Nossa natureza ainda primitiva e apaixonada pelos prazeres e gozos que a vida pode oferecer nas esferas da sensorialidade (sexo, paladar, olfato, ext.) muitas vezes nos conduz a imaginar que essas satisfações são as únicas e excelentes na vida humana. Mas isso é um equívoco.
Todos nós já experimentamos prazeres e satisfações que são realizações puras do espírito: a alegria de uma criança, a satisfação de sentir amor legítimo por alguém, o apreço de um amigo, a chegada de um filho, a vitória sobre um vício ou uma imperfeição moral... SÃO PRAZERES DA ALMA que sobrepujam muitas vezes a satisfação corporal de um orgasmo, por exemplo, muitas vezes alcançado em ligações fortuitas que semeiam o desrespeito por onde passamos.
O sexo em si mesmo nada tem de imundo e os sistemas religiosos que apregoam a mortificação do corpo pela abstinência sexual negam a força biológica do corpo e a importância do prazer sexual como fonte de reabastecimento de forças necessárias à vida.
O prazer do paladar e a escolha do alimento pelo gosto de cada um nada tem de condenável, erram também ai os sistemas religiosos que apregoam o jejum e condenam esta ou aquela dieta sem avaliar a alimentação como fonte de manutenção da vida.
O mesmo se dá com o prazer no uso de bebida... O lúcido espírito ANDRÉ LUIZ nos ensina que não há nada de errado com UM BRINDE, mas é claro que um brinde não é uma carraspana! Nesse ponto convergem as religiões que condenam o uso do álcool, não por ser pecaminoso, mas por ser o responsável na Terra por muita infelicidade, morte, mutilações, desagregação de famílias e toda sorte de desgraças.
O que nos prejudica então, e é fácil de perceber, é exatamente o EXAGERO e ABUSO em todas as áreas da satisfação à naturais necessidades do corpo.
A dedicação exagerada do homem moderno ao sexo tem raiz em nosso primarismo e reclama disciplina, austeridade e auto-educação. A necessidade desesperada de sexo foi chamada por Joanna de Angelis (espírito) de “a sede da água do mar” pois quanto mais se tenta saciar essa necessidade mais a sede se multiplica, obrigando o sedento a beber novamente a água que jamais sacia...
Muitos de nós aqui nesta sala já achamos que nossa carência real é SEXUAL e buscamos satisfazê-la em ligações fortuitas ou não, negligenciando a verdadeira carência em nós: A FALTA DE AFETO.
Outros tantos buscamos compensar na mesa (ou em pé no fast food) as nossas frustrações e recalques, sem perceber que também comparece ai a FALTA DE AFETO como desencadeador do vício mórbido da gula, causador de muitas doenças e sofrimento.
AFETO é uma força que não atinge o corpo, por isso não o alcançamos com o sexo, o alimento. AFETO é comida e gozo para a alma. Sim, o ato sexual quando há afeto sacia realmente a necessidade da alma porque atende nosso anseio por alegrias legítimas e duradouras. Sim, comer um delicioso sanduíche em que o afeto é o recheio principal, pode ser a nutrição perfeita para o corpo e para o espírito.
Percebamos que é muito interessante, nunca estamos SÓ COM O CORPO, nem SÓ COM A ALMA. Vivemos num sistema provisório de interdependência em que um e outro se envolvem;
Nunca você conseguirá a plena satisfação de seus sentidos físicos se a ALMA não for contemplada com sua parcela de AFETO. Nunca sua alma estará plena se não for respeitada suas necessidades afins com o corpo biológico.
CORPO e ALMA não estão separados, por isso GEORGES o Espírito autor da página em estudo afirmar que as relações entre o corpo e a alma existem e “reciprocamente necessário, é indispensável cuidar de ambos”.
O Espiritismo como uma proposta de construção intima do HOMEM NOVO, consciente e integrado com as Leis Divinas, oferece diretrizes seguras para nosso equilíbrio: “Amai, pois, a vossa alma, mas cuidai também do corpo, instrumento da alma; desconhecer as necessidades que lhe são peculiares por força da própria natureza, é desconhecer as leis de Deus”. Lembra Georges;
Todo ABUSO pois das forças de satisfação são funestas. O abuso do sexo é responsável por muito abandono e feridas emocionais que vitimam milahres de almas equivocadas com o prazer divorciado do respeito. O exagero que conduz ao vício alimentar e às conseqüências orgânicas patológicas na maquina física tanto na compensação da gula da obesidade quanto na perversão da esbelteza nos desatinos da pré-anorexia.
Diz o adágio popular que “A carne é fraca e por isso a ela sucumbimos”. Na verdade o corpo é o ESPELHO DO ESPÍRITO e cada célula de nossa máquina física obedece docilmente ao impositivo DA MENTE que em síntese, é o NOSSO EU REAL. Então não é a carne que é fraca, mas eu e você que somos SEM-VERGONHAS quando não a administramos com amor e respeito ao sagrado destino para qual o CORPO foi projetado.
Não existe este ou aquele CORPO compulsivo sexual, mas um espírito que submete seus equipamentos genitais à tirania do desrespeito e ao egoísmo exclusivista na ânsia se gozar e gozar sem perceber que carece de educação interior.
Você não é seu corpo nem seu corpo é você. Ele é divina concessão da SABEDORIA DE DEUS que lhe empresta como abençoada oficina-escola para a educação de seu Espírito.
Estamos falando isso no campo do sexo e da nutrição, e nem tocamos ainda no assunto dos que submetem seu corpo à tempestades da ira, da mágoa, do ressentimento, do excesso de trabalho.
O dócil e obediente corpo que provoca uma DOR DE CABEÇA como sinal de alerta de nossas emoções descontroladas recebe um CALA BOCA na forma de uma aspirina, por ele não deve nos toldar o tempo com seus caprichos...
O fígado ganha um regulador hepático quando tenta mostrar a você que o ÓDIO e a FALTA DE PERDÃO então destrambelhando seu equilíbrio em ondas de energias a lhe corromper as funções nobres. Ele deve obedecer e aceitar o que você escolher comer e pensar sem reclamar.
Aquela azia e desconforto gástrico são silenciados a custa de anti-ácidos toda vez que seu estômago tenta alertar-lhe de que A VIDA é assunto que você não está digerindo bem. Mas ele também deve calar-se e digerir á força o que você quiser, naturalmente prosseguindo os alertas até a úlcera exigente.
SEU CORPO SÓ TEM UM INIMÍGO, e ele não é um vírus, nem um agrotóxico, nem uma bactérias nem um aditivo químico alimentar... O INIMIGO DE SEU CORPO É SEU ESPÍRITO INDISCIPLINADO!!!
Promover as pazes entre o CORPO e a ALMA é o desafio de todos os tempos, e plenamente e mais do que nunca, ao nosso alcance hoje.
O Espiritismo ensina que a REFORMA ÍNTIMA através do autoconhecimento e da adesão a diretrizes de auto-educação são ferramentas fantásticas de equilíbrio.
No hábito da oração – tão útil para a alma quando a escovação dos dentes é para a saúde bucal – traz para cada um de nós a companhia preciosa dos instrutores espirituais sempre interessados e comprometidos com o nosso crescimento perante a VIDA seja em sua expressão material ou espiritual.
Prossigamos vivendo e usufruindo no corpo os prazeres que a vida material nos prodigaliza e que são nosso direito. Mas que tal acrescentar AMOR na forma de AFETO e EDUCAÇÃO na forma de RESPEITO.
Acrescentemos AFETO POR NÓS MESMOS juntamente com o RESPEITO AOS OUTROS na satisfação de nossas necessidades, cientes de que perante a LEI IMORTAL ninguém lesa o outro sem comprometer-se perante a vida a resgatar a dor e sofrimento provocados.
JESUS nosso Mestre incomparável é para nós modelo incomparável de sobriedade e equilíbrio. Comia quando o corpo tinha sede, bebia quando o corpo tinha fome. Fez de suas forças sexuais um instrumento de trabalho para a redenção da humanidade, conduzindo todo seu erotismo para a Missão de nos deixar a sua mensagem imortal: AMA, disse ele a todos nós! É o amor a sua herança, seu legado e é o AMOR que nos há de levar à felicidade que tanto desejamos.(http://espiritoandre.blogspot.com.br/2012/03/reflexoes-espiritas-cuidar-do-corpo-e.html)

Paz e luz!
Laura


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...