Lindo"

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Aula: Buscai e Achareis

Aula: Buscai e Achareis
Adaptável para várias idades
Bibliografia: Evangelho Segundo o Espiritismo, cap. 5, itens 1 a 8.
I.      Prece.
  II. Acolhida e Harmonização.  Duração – no máximo cinco minutos.
1 – Exercício: Colocar um cd com música bem suave. Quando as crianças entrarem na sala, pedir para se postarem em círculo, fecharem os olhos e prestar atenção na música
2 – Relaxamento e respiração:
Obtido o relaxamento muscular, cada um passa a concentrar sua atenção na respiração, inspirando naturalmente, com a boca cerrada, retendo o ar um pouco e expirando, abrindo suavemente os lábios.
Este método de respiração, utilizado diariamente possibilita uma renovação orgânica e, em conseqüência, maior vitalidade.
 III. Atividades
1)  Apresentar o tema da aula
Hoje nós vamos fazer uma viagem através dos tempos: vamos descobrir como foi nossa caminhada no Planeta do início da humanidade até agora.
2) Os primeiros seres humanos:
Quando os primeiros seres humanos viveram no planeta as coisas eram muito diferentes. O corpo físico do homem era muito primitivo. Os homens e mulheres das cavernas não sabiam falar, não tinham sentimentos como nós, não possuíam nenhuma tecnologia para ajudá-los a viver. Aos poucos foram aprendendo a usar o fogo e desenvolvendo uma linguagem de grunhidos e sinais para se comunicarem. Assim era a vida no início da civilização da Terra:
 (Mostrar cada imagem vem vagarosamente, incentivando os Evangelizandos a observar cada detalhe. Frisar as dificuldades de se viver daquela forma, levá-los a descobrir essas dificuldades. Comparar com a vida que levamos hoje.)





 3) A antiguidade –
Aos poucos, os homens foram evoluindo. Deus nos deu a inteligência e o impulso à evolução, através de duas leis: lei do progresso e lei do trabalho.
Na antiguidade, os homens já tinham aprendido a viver em sociedade, construir casas e cidades, e passaram a desenvolver o trabalho – quase sempre usando os próprios braços ou com o auxílio de animais. Nessa época, ainda não conhecíamos a eletricidade, os motores, as máquinas nem os carros. A medicina estava começando.
A Evangelizadora deverá, nesse momento, distribuir as imagens abaixo e os Evangelizandos deverão construir, em conjunto, com a coordenação da Evangelizadora, uma história com o tema: “Um dia na idade média”.
 casa de camponês
 profissões
 casa de camponês - como era internamente
tintureiros
profissões diversas
trabalho braçal
curandeira e sanguessugas 
4) Aos poucos a humanidade, mediante muita dedicação, trabalho e auxílio da espiritualidade, passou a desenvolver os rudimentos da tecnologia. Jesus nos ensinou: “Ajuda-te e o Céu te ajudará”.
Ao sentir o impulso de descobrir novas tecnologias para melhorar a qualidade de vida, o ser humano passou a se esforçar, e, om muito trabalho, dedicação, pesquisa e auxílio do plano espiritual através de intuições e sonhos, surgiram as primeiras grandes invenções: a eletricidade, os motores, os trens, carros, máquinas, telecomunicações. Assim era a vida entre 1800 e meados de 1900 no Brasil:
(distribuir as figuras e incentivar os Evangelizandos a comentarem cada uma delas, pedir a cada um que apresente sua figura para a turma, explican do-a. Enfatizar, após, as dificuldades, diferenças sociais e trabalho infantil).
 Imagem de uma rua
 meio de transporte usual no interior
  casa de pau-a-pique
 pequeno limpador de chaminé
 desfile de carnaval
 como era feito o transporte de água
ama de leite
extração de mionérios 
jantar 
 fábrica
 detalhe de produção têxtil

 trilhos de bonde

5) Agora vocês vão conhecer nossa cidade no século passado, há bem pouco tempo:
(Dividir a turma em duas equipes, ir apresentando uma figura para cada equipe, que tentará descobrir qual é o lugar mostrado. Se aquela equipe não conseguir, passar a vez para a outra.  Se ninguém adivinhar, dizer o lugar e dar um tempo para eles identificarem-no.

 Aterrado em 1950
 Avenida do Retiro em 1950
 Construção do Cine 9 de Abril
 Construção do Hotel Bela Vista
 Colégio Manuel Marinho
 Hotel Bela Vista - ônibus
 Av. Paulo de Frontim
 Ambulâncias
 Construção do Viaduto N. Sra. das Graças
 Ponte Aterrado - Niterói (era de madeira!)
Construção da Praça Brasil
Rua 33

6) Mesmo as grandes descobertas tecnológicas vêm se aprimorando dia-a-dia. Querem ver?
(sugiro que levem revistas antigas e modernas, para que os Evangelizandos possam pesquisar os itens sugeridos e compará-los. Se não conseguir, você pode imprimir as imagens abaixo. Pedir que eles montem um quadro Antes e Depois.

 
Televisão

Computador




Telefone
geladeira
carros


7) Mas Jesus nos ensinou também que não devemos nos preocupar muito com amealhar bens materiais, devemos nos ocupar em juntar bens que nos aprimorem espiritualmente. Afinal, são esses que nos fazem verdadeiramente felizes. Vocês podem e devem lutar por uma vida melhor, estudando muito, e, quando forem adulto, trabalhando com amor e afinco. Mas devem se preocupara prioritariamente com as riquezas espirituais. 
Distribuir para cada Evangelizando um baú do tesouro. Espalhar pela mesa moedas de chocolate com o nome das virtudes colado, e outrascom nomes de bens materiais. Pedir aos Evangelizandos que juntem seu tesouro. No final, discutir sobre a quantidade de moedas amealhadas e seu significado.
Tesouros do espírito: bondade, sinceridade, simplicidade, humildade, compreensão, respeito, tolerância, paciência, perdão, compaixão, misericórdia, mansuetude, calma, gratidão, fortaleza, delicadeza, carinho, gentileza, ternura, simpatia, alegria.

8) Cantar a música “O Menestrel” de Moacyr Camargo:

Na era das pedras não havia flores
Musgos e samambaias poucas espécies
E a nossa casa eram as cavernas
Milênios foram passando, os povos aumentando,
A terra florindo em toda planície
Tempo dos faraós choupanas e pirâmides
Nos jardins da Grécia as artes floriam
Filosofia chega aos palácios

Cada era, era o memento
De avançar no crescimento
Noite ou dia flores surgiam
Espécies em evolução

Tudo a florir
Homem e terra tudo a florir
Tudo a florir, tudo a florir,
Cada dia novo na terra é pra florir

Nasce Jesus que lindo momento
Para que o homem plantasse em seu jardim
Flores do amor, o maior bem do mundo,
Canta o menestrel a vontade do rei
No renascimento as artes reflorescem
Um viva ao progresso do renascimento
O Brasil surgia nesse momento

Mimosa, acácia são flores do Brasil,
Angelim, tauari, são flores do Brasil,
Os biomas são seis, são seis,
A mimosa tá no cerrado, acácia na mata atlântica
A cortadeira ta nos Pampas e o ingá no pantanal
Tudo a florir...

Que esse milênio seja mais florido
Que a inteligência voe com sentimento
Uma era nova muda o pensamento
Um viva ao menestrel que canta sentimentos
O amor e a paz nossa maior conquista
Que as flores da terra sejam a inspiração
Que a beleza seja a nossa meta


Subsídios para o Evangelizador
 Ajudar-e – Richard Simonetti
É atribuída a Esopo história de um carroceiro que conduzia pesada carga.
Em dado momento, a carroça atolou em solo instável.
Os cavalos não conseguiam movê-la.
Olhando ao redor, notou a presença de Hércules, o herói grego.
Confiante, pediu-lhe auxílio. Estava diante de um filho dos deuses, o homem mais forte do Mundo!
Para sua surpresa, ouviu uma reprimenda:
– Faça força! Empurre! Estimule os cavalos! Se você não se dispuser a ajudar-se, não espere que eu o faça!
Certamente o prezado leitor conhece outras versões desta história, sempre enfatizando o óbvio:
Diante das dificuldades e problemas, é preciso fazer a nossa parte, se esperamos pela ajuda do Céu.
***
Benjamin Franklin, (1706-1790), um dos homens mais lúcidos e empreendedores do século XVIII, deu forma definitiva a essa idéia, no seu Almanaque, em 1736:
Deus ajuda quem se ajuda.
No século seguinte, Allan Kardec (1804-1869), consagraria o mesmo princípio, no capítulo XXV, de O Evangelho Segundo o Espiritismo, com a máxima sempre lembrada quando somos chamados a enfrentar os desafios humanos:
Ajuda-te que o Céu te ajudará.
***
Uma das características lamentáveis do ser humano, fruto de sua imaturidade, é a tendência ao acomodamento.
Inspira uma interpretação equivocada da Lei de Causa e Efeito, que induz à inércia em situações difíceis.
São encaradas como inexorável carma.
Puro engano!
Carma, amigo leitor, é o que não pode ser mudado.
Carma é a deficiência congênita, a esterilidade definitiva, a doença grave, a morte prematura…
Carma é o problema insolúvel, o prejuízo irreparável…
Nessas situações, compete-nos cultivar a resignação e a submissão aos desígnios divinos para que nos conservemos em paz.
É como ter um espinho no pé. Se não pode ser retirado, melhor andar com prudência, evitando agravar o ferimento e exacerbar as dores.
Quanto ao mais, são contingências da jornada terrestre, que haveremos de superar com a ajuda de Deus, se estivermos dispostos a nos ajudar, movimentando-nos para tirar o carro existencial desses “atoleiros”.
***
Vivemos hoje o terrível drama do desemprego que aflige multidões.
Carma coletivo?
Obviamente, não!
Trata-se de uma contingência gerada por inúmeros fatores:
Os desacertos dos governos, a recessão econômica, os avanços da tecnologia, a decantada globalização…
Sobretudo, o que faz o desemprego é o egoísmo que concentra riquezas, subtrai oportunidades e faz do Homem “o lobo do Homem”.
Sendo contingência, é superável.
Apelando para o Céu e confiando em Deus, haveremos de encontrar meios de prover à própria subsistência.
Ensina Jesus (Mateus, 7:7-8):
Pedi e se vos dará; buscai e achareis; batei à porta e se vos abrirá; porquanto, quem pede recebe e quem procura acha e, àquele que bata à porta, abrir-se-á.
Se orarmos de verdade, como Jesus ensinou, coração isento de mágoas, cérebro iluminado pela fé, nossa oração ganhará as alturas.
Logo virá a resposta, ensejando-nos meios para superar o embaraço.
Deus espera apenas que nos movimentemos, cultivando disposição e bom ânimo.
E que, a cada dia, batamos às portas da iniciativa e procuremos nossos caminhos desde os alvores da manhã, porquanto, enfatiza velho aforismo:
Deus ajuda quem cedo madruga.
Livro Luzes no Caminho
 

Paz e luz!
Laura




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...