Lindo"

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Procurando um anjo



Procurando um anjo
Certo dia, um menino perguntou à mãe:
-"Os anjos existem, mãezinha? Nunca vi nenhum! 
Como a mãe lhe disse que claro que os anjos existem, o menino resolveu que iria andar pelas estradas, até encontrar um anjo.
-"É uma boa ideia"- respondeu a mãe. Irei com você. 
-"Mas a senhora anda muito devagar" - falou o menino. "A senhora tem um pé aleijado." 
No entanto, a mãe insistiu que o acompanharia. Afinal, podia andar muito mais depressa do que ele pensava. Puseram-se então a caminhar.O menino saiu a saltitar e a correr. A mãe seguia-o a mancar com alguma dificuldade. 
De repente, uma carruagem apareceu na estrada. Majestosa, puxada por lindos cavalos brancos.
Dentro dela, uma mulher com um vistoso chapéu de belas plumas brancas nos cabelos pretos.Trazia algumas jóias tão brilhantes que pareciam pequenos sóis. O menino correu para a carruagem e perguntou àquela misteriosa personagem: 
-"A senhora é um Anjo?" 
Mas não recebeu resposta. Quando a mãe chegou juntou dele, o filho disse-lhe: 
-"Ela não era um anjo, não é verdade, mãezinha?" 

-"Claro, filho! Mas um dia tu poderás ser um!-  respondeu a mãe. 
Mais adiante uma jovem muito bonita , vestida de branco, encontrou este menino. Carregava lindas flores azuis, e, assim que o menino a viu, perguntou: 

-"Você é um Anjo?" 
Ela sorriu, levantou--o no ar e falou-lhe com ternura:

-"Ontem me disseram que eu era um!" 
E, enquanto acariciava aquele rosto infantil e o beijava, colocou o menino no chão. Mas colocou-o no chão tão rápido que o menino não conseguiu equilibrar-se e caiu. Aquela situação provocou a ira da moça, que pouco se importou com a dor que a queda originou no menino.

Ele ficou estatelado no chão a chorar bastante, até que chegou a mãe e lhe enxugou as lágrimas com o seu avental de algodão. Certamente, não era um anjo. 
Aquela criança abraçou a mãe e disse-lhe que estava muito cansado. 
-"Ó,Mãezinha, sabe de uma coisa? A senhora já é o meu ANJO! Leva-me de colo para casa?" 
-"Claro que sim, meu Anjo!"- disse a mãe. "Foi para isso que eu vim." 
Com o precioso TESOURO nos braços, a mãe foi coxeando pelo caminho, cantando a música que ele mais gostava. Então, o menino a abraçou com força e perguntou-lhe: 
-"Mãezinha, a senhora é um ANJO?" 
A mãe sorriu e disse baixinho: 
-"Já imaginou algum anjo de avental de algodão florido como o meu...?" 
 Livre adaptação do conto de William  J. Bennett
Paz e Luz!
Laura

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...