Lindo"

terça-feira, 28 de maio de 2013

Aula: A boca fala do que está cheio o coração.


Aula: A boca fala do que está cheio o coração.
Adaptável para várias idades
Bibliografia: Evangelho Segundo o Espiritismo, cap. 21
I.      Prece.
  II. Acolhida e Harmonização.  Duração – no máximo cinco minutos.
1 – Exercício: Colocar um cd com música bem suave. Quando as crianças entrarem na sala, pedir para se postarem em círculo, fecharem os olhos e prestar atenção na música
2 – Relaxamento e respiração:
Obtido o relaxamento muscular, cada um passa a concentrar sua atenção na respiração, inspirando naturalmente, com a boca cerrada, retendo o ar um pouco e expirando, abrindo suavemente os lábios.
Este método de respiração, utilizado diariamente possibilita uma renovação orgânica e, em conseqüência, maior vitalidade.
 III. Atividades
1)  Apresentar o tema da aula
Hoje nós vamos aprender mais um ensinamento de Jesus: um ida Jesus nos ensinou que nossa boca fala do que está cheio o nosso coração.
2)Contar a seguinte estória, com fantoches:

Você imprime as imagens, adequa o tamanho e faz os fantoches com papel, EVA ou feltro.
Joãozinho gostava muito de ficar sentado em sua varanda observando os belos pássaros que visitavam o jardim e sua casa. D. Maria, mãe de Joãozinho, espalhava frutas e alpiste pelo jardim, para alimentá-los. Assim, vários passarinhos, dos mais variados tamanhos, cores e cantos passeavam o tempo todo por lá.
Um dia o vovô de Joãozinho acercou-se dele e perguntou:
_ Você gosta muito dos pássaros, não é, meu filho?
_ Ah, vovô, eu adoro a companhia deles.
Vovô, que não perdia nenhuma oportunidade para ensinar o bem, falou:
_ Sabe, meu filho, que algumas pessoas ao falar soltam flechas venenosas pela boca?
- Flechas, vovô?
- Sim, meu filho. E flechas que machucam muito. Ainda as molham em veneno.
_ Como assim  vovô?
_ Bem, meu filho, as pessoas quando falam sobre o mal espalham o mal. E se juntam ao que falam sentimentos ruins como a raiva, a mágoa, a vontade de ferir o outro essas flechas ficam ainda mais fortes. A maledicência, a mentira, os palavrões, as palavras ditas para ferir os outros são flechas venenosas, que ferem, maltratam e entristecem.
Joãozinho ficou pensando naquilo. O vovô continuou:
_ Mas, por outro lado, existem pessoas das quais brotam infinitos pássaros da boca.
Joãozinho se espantou.
_ Pássaros, vovô?
_ Sim, meu querido, pássaros de luz! Coloridos, harmoniosos e que cantam e encantam a todos!
_ Como assim, vovô?
_ Essas são as pessoas que cultivam o bem. Fazem de seu coração um jardim de amor, paz e luz. Quando falam, espalham o carinho, o incentivo, a verdade, a paz por todos os lugares. Vivem compartilhando lindos pássaros de luz!  E você, meu filho, quer espalhar flechas venenosas ou pássaros de luz?
Joãozinho não precisou pensar muito:
_ Ah, vovô, eu quero espalhar somente pássaros de luz!
_ Então, meu filho, cuide dos sentimentos que você planta no jardim de seu coração, ilumine-o com o sol que vem das palavras santas do Evangelho de nosso Mestre Jesus, regue-o com as virtudes, e você também espalhará pássaros de luz a todas as pessoas!
Laura Souza Machado.
3)     Indagar e explicar para os Evangelizandos:
a) O que vocês acharam da estória?
b) Vocês conhecem alguém que espalha flechas venenosas?
c) E que espalha pássaros de luz?
d) Você já espalhou flechas venenosas?
f) Quantas vezes você já espalhou pássaros de luz?
g) O que devemos fazer para cultivar um lindo jardim em nossos corações?
4)   Dinâmica:
Material:
- 2 bolas de coração

- balas
- pedaços bem pequenos de carvão
- uma mistura feita com pó de carvão e água
- papel e lápis
Desenvolvimento:
PDistribuir papel e lápis para as crianças.
Obs.: A Evangelizadora do maternal deve chegar perto de cada criança e pedir que ela fale as palavras em seu ouvido, para que a própria Evangelizadora a escreva e dê para  criança os papéis.
 PPedir a elas que escrevam nos papéis palavras que disseram para elas e que as magoaram ou entristeceram.
PEntregar um pedacinho de carvão e um pequeno recipiente contendo a mistura de pó de carvão e água para cada criança, pedir que elas enrolem o carvão no papel, passem na mistura de água e pó de carvão e introduzam na bexiga de coração.
PFazê-las observar toda a sujeira que fizeram.
PLimpar a sujeira junto com as crianças.
PDistribuir outros pedaços de papel.
PAgora as crianças devem escrever palavras ou frases que lhes fizeram bem.
PDistribuir várias balas para as crianças enrolarem os papéis e introduzirem na outra bola de coração.
PEncher as bolas e pendurá-las no alto da sala.
PPedir às crianças que fiquem embaixo das bolas (devem estar identificadas) e perguntar a elas:
_ Qual vocês querem que eu estoure?
_ Por que?
Fazer com que elas vejam que as palavras e sentimentos ruins são nocivos, “sujam” aqueles que falam, enfeiam a vida. Já as palavras boas são doces, alegram, consolam e fazem feliz a todos – quem as fala e quem as ouve, assim, são pássaros de luz. Terminar dizendo:
- Vocês querem cultivar seus corações para espalharem pássaros de luz ou flechas sujas e venenosas?
5) Artes:
Vamos fazer juntos os pássaros de luz que ajudaremos a espalhar pelo mundo? 
Material:
Papéis Diversos, EVA, canetinhas, cola com gliter, miçangas...
Entregar os moldes para as crianças recortarem os pássaros do material que quiserem, e enfeitá-los conforme sua criatividade. Os Evangelizandos do Maternal devem receber o corpo do pássaro e a asa já recortados, para somente montar.
Molde:


7) Cantar a música “Mensagem de Amor” do CD Cancioneiro Espírita:

MENSAGEM DE AMOR
(Wagner Andreo Alledo Filho)
A+ B-7 E+
A brisa que flutua em cada quintal
 A+
Traz consigo a mensagem de que não há fronteiras
 B-7 E+
A luz que brilha no céu azul
 A+
Tem a força que faz essa canção surgir
 B-7 E+
Agradeço ao Criador
 A+
Por poder expressar essa mensagem de amor
 B-7 E+
Será que o mundo um dia vai ser assim
 A+
Um pedaço de amor dentro de cada jardim
 B-7 E+
A vida que transborda em cada ramo de flor
 A+
É a mais pura e sincera mensagem de amor
B-7 E+
Viva a vida a cada dia sem fim
 A+
Um pequeno sorriso já basta pra mim
IV.    Prece Final.
     
Subsídios para o Evangelizador:
 Exteriorização da alma
A boca fala do que está cheio o coração.
Esta afirmativa de Jesus encerra grande sabedoria.
Significa que não somente as palavras, mas tudo o que vem do interior do homem é, de certa forma, a exteriorização de sua alma.
As cidades são a expressão de quem as constrói, de quem as habita, de quem as conserva.
Uma canção é a exteriorização da alma do compositor, assim como a escultura, a arquitetura, as artes plásticas, retratam a intimidade do seu criador.
Uma peça literária é a alma do escritor que se mostra em forma de palavras, frases, ideias...
É assim que, pelo conteúdo das mais variadas formas de expressão, conhecemos a natureza daquele que as produz.
Almas sábias exteriorizam bondade, beleza, sabedoria...
Almas ignóbeis se revelam pelas produções corrompidas na base, ideias desconexas, infelizes, viciosas...
Suas expressões artísticas denotam baixeza e futilidade. São contraditórias e desprovidas de beleza.
Nas canções, a letra é carregada de palavras torpes. As notas, geralmente de melodia pobre, expressam o desarranjo da alma que, através da música, se exterioriza.
Os escultores dessa categoria apresentam sua intimidade nas formas retorcidas, grotescas, sem graciosidade. Comumente não causam bem-estar em quem as contempla.
Todavia, muito diversa é a expressão artística das almas nobres...
As composições musicais expressam sua grandeza d´alma. Produzem, em quem as ouve, profunda harmonia íntima, pois tocam as cordas mais sutis do ser, promovendo estesia e bem-estar.
As notas musicais têm sonoridade agradável e penetrante. A alma do artista se exterioriza e sua sabedoria sensibiliza quem as sente, provocando emoções nobres e salutares.
É assim que a alma se mostra através das palavras, das artes, das ciências e de todas as formas de expressão.
Às vezes, pessoas iletradas se apresentam com extremada beleza, através de palavras que brotam da alma como de uma fonte cristalina, plenas de sabedoria, de afeto, de ternura.
Trabalhadores simples, devotados, que realizam suas tarefas com dedicação e seriedade, demonstram trazer no íntimo uma fonte de riquezas.
Poetas, escritores, compositores, escultores, engenheiros, médicos, jardineiros, pedreiros, arquitetos, donas de casa, paisagistas e outros tantos cidadãos mostram a alma, através de suas realizações.
E a sua alma, como tem se exteriorizado?
Nas tarefas singelas que você realiza...
Nas muitas palavras que você pronuncia...
Nos conselhos que dá ao filho ou a um amigo...
Numa carta comercial que você escreve, ou numa declaração de amor, sua alma se exterioriza e se deixa ver...
Com suas ações, o mundo ao seu redor fica mais belo ou mais feio? Mais alegre ou mais triste, mais nobre ou mais pobre?
Para se conquistar a excelência nas ações cotidianas, é preciso considerar as quatro dimensões da experiência humana:
a dimensão intelectual, que almeja a verdade; a dimensão estética, que almeja a beleza, a dimensão moral, que almeja a bondade, a dimensão espiritual, que almeja a unidade.
E gravitar para a unidade Divina, é o objetivo final da Humanidade.
Busque plantar em sua alma a verdade, a bondade e a beleza.
Mas considere que a verdade é o solo mais propício para que germinem a bondade e a beleza.
Pense nisso! Vale a pena!
Invista na sua alma!
Redação do Momento Espírita.
Em 07.06.2010.

Paz e luz!
Laura




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...