Lindo"

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Aula: “Fazer o bem sem ostentação.” Maternal



Aula: “Fazer o bem sem ostentação.”
Turma: Maternal – Sala Meimei
I – Acolhida e Prece.
  II – Harmonização.
III. Atividades
1)     Explicar aos Evangelizandos que Jesus nos ensinou a ajudar a todos, nossos pais, irmãos, coleguinhas e especialmente quem é mais necessitado do que nós: está doente, com fome, com frio, triste...
Podemos ajudar dando carinho, um sorriso, fazendo um lindo desenho para um amiguinho que está doente, doando brinquedos e roupas...
2)    Levar massinha de modelar. Distribuir. Ir contando a estória e modelando os personagens com a massinha, junto com os Evangelizandos.



A Florzinha Boa.
Era uma vez uma sementinha amarela  (modelar a sementinha). Com o passar do tempo, ela germinou, e dela foi surgindo um cabinho com dus folhinhas (modelar). Na primavera a plantinha floriu, ah, qaue marabilha, dela nasceu uma linda e perfumada flor.
Era uma flor muito bondosa, espalhava seu perfume para alegrar o menino que passava (modelar o menino), servia feliz seu néctar para as abelhinhas e beija-flores (modelar), abrigava em sua folhinha a lagartinha (modelar), até que ela cresceu e virou uma linda borboleta (modelar).
Um dia o menininho se sentou perto da florzinha e disse (colocar o menino modelado junto à florzinha):
- Mamãe me disse que nosso Mestre Jesus nos ensinou que sempre devemos fazer o bem sem ostentação. Então eu perguntei o que é ostentação. Ela me explicou que é fazer sem querer aparecer. Aí minha irmã perguntou como uma criança pequena como nós poderia fazer o bem, se não temos dinheiro. Antes que Mamãe respondesse eu me lembrei de você, querida florzinha, que não tem dinheiro nenhum, mas me alegra todos os dias com sua beleza e seu perfume. Dá seu néctar para a abelhinha fazer o delicioso mel, para o beija-flor dançar alegre pelo jardim, embelezando ainda mais nossa vida. Abriga em sua folhinha a lagartinha faminta, pelo prazer de alimentá-la com seru amor e ver nascer a bela borboleta, que parece uma flor com asas.
E assim, contei para a mamãe e minha irmãzinha tudo isso e mamãe disse que você, querida florzinha, é um exemplo perfeito de como podemos fazer o bem sem ostentação e sem gastara dinheiro. Por isso eu convidei a todos os meus amiguinhos da Sala Meimei da Evangelização Espírita para virmos aqui hoje agradecer por tudo isso que você faz, e nós vamos agradecer cantando um a linda canção:


3)    Agora vamos desenhar e pintar a estória .

Subsídios para o Evangelizador:
“Tende cuidado em não praticar as boas obras diante dos homens, para serem vistas, pois, do contrário, não recebereis recompensa de vosso Pai que está nos céus. -Assim, quando derdes esmola, não trombeteeis, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem louvados pelos homens. Digo-vos, em verdade, que eles já receberam sua recompensa. - Quando derdes esmola, não saiba a vossa mão esquerda o que faz a vossa mão direita; - a fim de que a esmola fique em segredo, e vosso Pai, que vê o que se passa em segredo, vos recompensará. - (S. MATEUS, cap. VI, vv. 1 a 4.)
Tendo Jesus descido do monte, grande multidão o seguiu. - Ao mesmo tempo, um leproso veio ao seu encontro e o adorou, dizendo: Senhor, se quiseres, poderá curar-me. - Jesus, estendendo a mão, o tocou e disse: Quero-o, fica curado; no mesmo instante desapareceu a lepra. - Disse-lhe então Jesus: abstém-te de falar disto a quem quer que seja; mas, vai mostrar-te aos sacerdotes e oferece o dom prescrito por Moisés, a fim de que lhes sirva de prova. (S. MATEUS, cap. VIII, vv. 1 a 4.)

Em fazer o bem sem ostentação há grande mérito; ainda mais meritório é ocultar a mão que dá; constitui marca incontestável de grande superioridade moral, porquanto, para encarar as coisas de mais alto do que o faz o vulgo, mister se torna abstrair da vida presente e identificar-se com a vida futura; numa palavra, colocar-se acima da Humanidade, para renunciar à satisfação que advém do testemunho dos homens e esperar a aprovação de Deus. 

Aquele que prefere ao de Deus o sufrágio dos homens prova que mais fé deposita nestes do que na Divindade e que mais valor dá à vida presente do que à futura. Se diz o contrário, procede como se não cresse no que diz.

Quantos há que só dão na esperança de que o que recebe irá bradar por toda a parte o benefício recebido! Quantos os que, de público, dão grandes somas e que, entretanto, às ocultas, não dariam uma só moeda! Foi por isso que Jesus declarou: "Os que fazem o bem ostentosamente já receberam sua recompensa." Com efeito, aquele que procura a sua própria glorificação na Terra, pelo bem que pratica, já se pagou a si mesmo; Deus nada mais lhe deve; só lhe resta receber a punição do seu orgulho.

Não saber a mão esquerda o que dá a mão direita é uma imagem que caracteriza admiravelmente a beneficência modesta. Mas, se há a modéstia real, também há a falsa modéstia, o simulacro da modéstia. Há pessoas que ocultam a mão que dá, tendo, porém, o cuidado de deixar aparecer um pedacinho, olhando em volta para verificar se alguém não o terá visto ocultá-la. Indigna paródia das máximas do Cristo! Se os benfeitores orgulhosos são depreciados entre os homens, que não será perante Deus? Também esses já receberam na Terra sua recompensa. Foram vistos; estão satisfeitos por terem sido vistos. E tudo o que terão.

E qual poderá ser a recompensa do que faz pesar os seus benefícios sobre aquele que os recebe, que lhe impõe, de certo modo, testemunhos de reconhecimento, que lhe faz sentir a sua posição, exaltando o preço dos sacrifícios a que se vota para beneficiá-lo? Oh! para esse, nem mesmo a recompensa terrestre existe, porquanto ele se vê privado da grata satisfação de ouvir bendizer-lhe do nome e é esse o primeiro castigo do seu orgulho. As lágrimas que seca por vaidade, em vez de subirem ao Céu, recaíram sobre o coração do aflito e o ulceraram. Do bem que praticou nenhum proveito lhe resulta, pois que ele o deplora, e todo benefício deplorado é moeda falsa e sem valor.

A beneficência praticada sem ostentação tem duplo mérito. Além de ser caridade material, é caridade moral, visto que resguarda a suscetibilidade do beneficiado, faz-lhe aceitar o benefício, sem que seu amor-próprio se ressinta e salvaguardando-lhe a dignidade de homem, porquanto aceitar um serviço é coisa bem diversa de receber uma esmola. Ora, converter em esmola o serviço, pela maneira de prestá-lo, é humilhar o que o recebe, e, em humilhar a outrem, há sempre orgulho e maldade. A verdadeira caridade, ao contrário, é delicada e engenhosa no dissimular o benefício, no evitar até as simples aparências capazes de melindrar, dado que todo atrito moral aumenta o sofrimento que se origina da necessidade.

Ela sabe encontrar palavras brandas e afáveis que colocam o beneficiado à vontade em presença do benfeitor, ao passo que a caridade orgulhosa o esmaga. A verdadeira generosidade adquire toda a sublimidade, quando o benfeitor, invertendo os papéis, acha meios de figurar como beneficiado diante daquele a quem presta serviço. Eis o que significam estas palavras: "Não saiba a mão esquerda o que dá a direita."


B - Questões para estudo e diálogo virtual:

1 - Que significam as palavras de Jesus "...não saiba a vossa mão esquerda o que faz a direita"?

2 - Por que Jesus afirma que os que alardeiam a caridade praticada já receberam sua recompensa?

3 - Como devemos agir para auxiliar o próximo?
A - Conclusão do Estudo:

Fazer o bem é dever de todos nós. Portanto, não há razão para buscarmos aplausos para os nossos atos. O verdadeiro bem age em silêncio, com a aprovação agradecida do beneficiário, o agrado de Deus e a satisfação interior de quem o pratica.

B - Questões para estudo e diálogo virtual:

1 - Que significam as palavras de Jesus "...não saiba a vossa mão esquerda o que faz a direita"?

Que devemos fazer o bem pela satisfação de auxiliar o irmão necessitado, e não como meio de chamar atenção sobre nós mesmos.

" Tende cuidado em não praticar as boas obras diante dos homens, para serem vistas..."

" Não saber a mão esquerda o que dá a mão direita é uma imagem que caracteriza, admiravelmente, a beneficência modesta."

2 - Por que Jesus afirma que os que alardeiam a caridade praticada já receberam sua recompensa?

Porque, quem assim age, o faz movido por orgulho e vaidade, a fim de merecer os elogios das pessoas. E, sendo esse o seu propósito, o reconhecimento já lhe basta, porque seu orgulho foi satisfeito.

" Quando deres esmolas, não trombeteeis..."

" A prática do bem com ostentação é demonstração real de inferioridade moral."

3 - Como devemos agir para auxiliar o próximo?

Ajudando nosso irmão discretamente, em segredo; cuidando em ocultar nosso gesto e dando graças a Deus pela oportunidade, que nos concede, de praticar a caridade.

Na prática da caridade, o maior beneficiado não é quem a recebe, mas aquele que a pratica.


IV. Prece Final. 
Paz e Luz!
 Laura

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...