Lindo"

segunda-feira, 9 de abril de 2012

A tartaruga paciente



A TARTARUGA PACIENTE
Num lindo recanto do bosque viviam vários bichinhos em harmonia e tranqüilidade. Todos eram muito felizes. Acontece que a lebre achava que era muito melhor que todos os outros, porque sabia correr e pular muito mais que seus amigos. Quando olhava para a tartaruga se arrastando pelo chão dava muitas risadas, debochando da coitadinha. A tartaruga se entristecia, mas pensava: - um dia a lebre verá que eu também tenho valor! E seguia seu caminho.
Um dia a lebre estava particularmente rebelde. Decidiu chamar todos os animais e falou:
- Hoje vou provar que eu sou o melhor animal da floresta. Sou mais esperta, mais rápida e mais ágil! Eu te desafio, tartaruga, a me vencer em uma corrida. E passou a debochar da pobre tartaruguinha.
A tartaruga, porém, disse:
- Olhe, lebre, vou aceitar seu desafio, mas com uma condição: se eu ganhar você nunca mais vai rir de ninguém.
A lebre concordou, porque tinha certeza que ganharia a corrida.
Assim, demarcaram o percurso e a lebre, sentindo-se  muito importante, deu à tartaruga uma vantagem de meia hora.
A tartaruga iniciou a corrida. Algum tempo depois ouviu um choro. Parou, olhou e viu um filhote de passarinho caído no chão. Ficou com tanta pena do filhotinho que esqueceu-se da corrida. Parou, abaixou-se e perguntou:
- Por que você está chorando?
- Caí do meu ninho, ainda não sei voar e estou perdido, sem meus pais.
A tartaruga o consolou:
- Não chore, queridinho, daremos um jeito. Olhou para os lados e viu sua amiga coruja dormindo em um galho próximo. Foi até lá, acordou a coruja e contou-lhe sobre o filhotinho. A coruja imediatamente colocou o passarinho sobre seu pescoço e voou, levando-o para seus pais. A tartaruga suspirou de alegria: aquele filhotinho estava salvo!
Mais à frente, a tartaruga viu uma plantinha toda seca, quase morta de sede. Novamente esqueceu-se da corrida, pegou um regador e foi até a fonte, recolheu água fresca e derramou sobre a plantinha. Imediatamente a plantinha melhorou, sacudiu suas folhinhas e, sorrindo, agradeceu à tartaruga tanta gentileza.
Nisso, a lebre veio correndo, e passando pela tartaruga exclamou:
- Além de lerda é boba, para de correr a todo momento para ajudar quem nem conhece.
Mas a tartaruga falou:
- Mais importante que ganhar a corrida é dar amor. E continuou, devagarzinho, seguindo em frente.
A lebre, faltando apenas um passo para a chegada, olhou para trás para rir da tartaruga e, não vendo um galho saliente, tropeçou, caiu e machucou-se feio. Todos pensaram:
- Viva, a tartaruga vai ganhar e a desagradável lebre nunca mais vai debochar de ninguém.
Mas a tartaruga tinha um lindo e bondoso coração. Apiedou-se da lebre, e, mais uma vez, esquecendo-se da corrida, parou, limpou o machucado da lebre, deu-lhe um  copo d’água, ajudou-a a se levantar e amparou-a. Juntas cruzaram a linha da chegada.
Mas a lebre aprendeu uma grande lição: a tartaruga, com seu exemplo, ensinou a lebre a ser bondosa e paciente, e a fazer o  bem a todos.
Desde aquele dia os moradores do bosque viveram ainda mais felizes, e a lebre nunca mais debochou de ninguém!
Paz e luz!
Laura

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...